Métodos Destrutivos ou Convencionais

O Método Destrutivo é largamente utilizado na execução de redes subterrâneas e pode ser classificado como método Convencional ou Tradicional. É um método que envolve mais serviços se comparado com o Método Não Destrutivo (MND).

A sua execução, também conhecido como método com abertura de trincheiras, envolve:

escavações em toda a extensão da rede proposta, assentamento de tubulação na vala sobre um berço com materiais ideais, reaterro e compactação da vala. Em áreas pavimentadas, torna-se necessário, após a instalação da tubulação, a repavimentação

dos trechos que sofreram intervenção. A Engemape possui experiência de aplicação deste método em execuções que sejam necessárias.

Método Não Destrutivo (MND)

O Método Não Destrutivo (MND) tem por definição a ciência referente à reparação, instalação e reforma de dutos, tubos e cabos subterrâneos, utilizando-se de técnicas que

diminuam ou eliminam a necessidade de escavações. Podem reduzir os custos sociais,

danos ao meio ambiente, como também, apresentar uma alternativa econômica para

a instalação, reparo e reforma com vala a céu abertos.

A técnica tem despertado o interesse das empresas prestadoras de serviços em razão da

diminuição transtornos provocados ao redor dos centros urbanos em comparação à abertura das valas a céu aberto. Essa vantagem pode repercutir em menor custo global, levando-se em conta que o uso do método tradicional de abertura de valas carece de mais tempo para a execução das obras, esforços destinados à sua abertura, ao rebaixamento do lençol freático em situações específicas, à compactação e à repavimentação dos trechos. Os custos relacionados podem representar setenta por cento (70%) do custo total da obra.

A utilização dos métodos não destrutivos na expansão, manutenção ou implantação de redes subterrâneas é indicada preferencialmente para regiões urbanizadas, pois beneficia o processo de execução das redes de infraestrutura com menores impactos ambientais à medida que avança. Com equipe treinada e capacitada, além da utilização de equipamentos de ponta, a Engemape oferece qualidade diferenciada aos seus clientes no Método Não Destrutivo (MND).

A importância da utilização do Método Não Destrutivo (MND)

Desde a edificação dos túneis rodoviários, esta tecnologia é utilizada para evitar a destruição de áreas de conservação e transpor obstáculos naturais. Com o desenvolvimento e ampliação do método, o MND passou a ser utilizado também no subsolo em instalações e reabilitação de redes de água, esgoto, gás, comunicação, etc. Em uma época que a sustentabilidade e conservação do meio ambiente é um dos pilares sociais, é inadmissível grandes intervenções em prol do crescimento urbano e o MND vem de encontro a esta demanda.

Além dos danos ambientais, os custos sociais e econômicos também são reduzidos com a utilização deste método representando uma alternativa interessante frente a construção, reforma e reparo com vala a céu aberto. Com tantas vantagens, o MND tem se tornado a primeira opção para instalação e recuperação de redes. Com estudos precisos e investigações adequados, essa técnica minimiza o risco de problemas durante a execução dos serviços como reparos e reformas. A Engemape trabalha com os dois métodos: Destrutivos e Não Destrutivos, dependendo de qual o problema a ser solucionado e dimensão das redes, há uma forma diferente de resolver a adversidade.

Experiência Engemape com Métodos Não Destrutivos e Método Convencional

Via Método Convencional / Método Destrutivo

Metodologia de assentamento de tubulações de qualquer tipo de material (Ferro Fundido, PVC, Defofo, PEAD, Aço, entre outros), via de escavação mecanizada, escoramento, lastro, reaterro compactado, recomposição de pavimento e outras atividades civis.

Via Método Não-Destrutivo (MND)

Execução de redes de água e esgoto via metodologias de MND, como Tunnel Liner, Tubo Cravado / Boring Machine e Furo Direcional, viabilizando o assentamento direto da rede condutora ou tubo camisa protetor.


Veja Também